Família Souza faz uma viagem á Guiné-Bissau (África) e ficam emocionados ao rever alguns Guineenses

Atualizado: 3 de jan. de 2020

A família Souza (missionários) moraram durante 5 anos em Guiné-Bissau (2008 -2013).

A Guiné-Bissau está situada na costa ocidental da África. Esse país possui muitos problemas socioeconômicos, carrega consigo um dos 6 piores índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo. A maior parte da população encontra-se abaixo da linha de pobreza, sobrevivendo com menos de 1,25 dólar por dia, além de ter uma das menores expectativas de vida do mundo: 46 anos de idade.

(referência: FRANCISCO, Wagner de Cerqueria e. "Guiné-Bissau "; Brasil Escola).


Após passarem 5 anos em Guiné-Bissau eles foram morar em Botucatu interior de São Paulo por mais 5 anos (2013-2018), quando foram enviados a Portugal, onde recém completaram 1 ano que estão morando lá no dia 15/12/2019.


No início de dezembro de 2019, eles tiveram o privilégio de passar 9 dias em Guiné-Bissau com mais alguns irmãos da Igreja Metodista de Portugal. Onde visitaram as igrejas, escolas, alguns missionários e o orfanato da casa Emanuel, no qual se dedicaram bastante no período em que residiram lá. Levaram algumas doações -"Malas cheias de vestidinhos e outras roupinhas para as crianças, canetas, livros, produtos de higiene pessoal e outros miminhos" disse Ana Souza -, materiais de estudo para pastores e alguns mimos para os missionários que lá atuam, e estão cansados fisicamente, emocionalmente e espiritualmente.



Assim que chegaram em Guiné-Bssau a Família Souza teve um reencontro com o Mateus, um jovem que tem epilepsia e vários outros tipos de problemas. Ele teve uma grande parte do seu corpo queimado por conta dos ataques epiléticos. Quando ele tem os ataques ele cai, as vezes caia no fogo e se queimava, outras vezes batia seu rosto, tanto é que ele que atualmente ele possui poucos dentes.


"Durantes os anos que eu morei em Guiné-Bissau, ele era um exemplo de alegria para mim. Sempre que eu saia de casa para fazer qualquer trabalho, eu encontrava ele na minha porta e ele me dava uma lição todos os dias, de que mesmo sem ele ter nada, nem família ou nenhuma condição financeira, ele tinha muita alegria! Hoje o Mateus já está com vinte e poucos anos.

Quando eu fui embora de Guiné, foi muito difícil pra mim saber que ele iria ficar lá. Mas o Mateus é uma pessoa que não dá nem para tirar de lá, pois ele é muito feliz do jeito dele naquele lugar. E agora depois de 6 anos, voltamos para Guiné.

Eu tava muito curiosa para saber a atitude dele comigo, para saber se ele iria me reconhecer ou não. Eu já estava preparada para ele não me reconhecer e nem ter qualquer reação. Mas na hora que eu entrei na casa Emanuel com o carro e estacionei, através do vidro, lá do fundo quando ele me viu começou a gritar, mas a gritar de uma forma que todos os missionários em volta começaram a chorar e quem estava comigo também. Uma das missionarias da casa Emanuel correu para segurá-lo, pois ficou com medo dele passar mal e tentou acalma-lo. E ele gritava com uma alegria no coração de me ver, gritava e falava o meu nome e corria pra mim. E quando ele chegou pertinho de mim ele me abraçou e continuava a gritar.

Não tem explicação o que eu senti naquele momento, foi muito impactante pra mim esse reencontro com o Mateus, foi muito especial. Sabe, eu não sei quantos anos o Mateus vai viver, mas uma coisa eu sei, que ele vai para a presença do Senhor porque ele tem um coração puro." (Ana Souza)


Veja abaixo o vídeo desse reencontro emocionante da Família Souza com o Mateus, impossível não se emocionar:

Fique por dentro de tudo que aconteceu nessa viagem, a Família souza nos escreveu e nos enviou algumas fotos dessa viagem, confira aí:




29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo